Contos e Lendas ganham as ruas no 11º Desfile Étnico-Cultural

O desfile teve como tema “A memória de nossos avós” contada pelas etnias

Na tarde de ontem, 03 de setembro, ocorreu na Praça da República o 11º Desfile Étnico-Cultural Arte e Folclore. Neste ano o desfile trouxe ao público contos e lendas de cada uma das 11 etnias e a Querência Gaúcha, contados a partir de carros alegóricos montados pela equipe de Parintins/AM.

O desfile iniciou revivendo a magia e encanto do “Templo de Dionísio” com o carro abre-alas, em que os centros culturais foram representados pelas 12 embaixatrizes da feira. Depois cada uma das 12 entidades culturais mostrou ao público a beleza dos contos e lendas que remetem ao país que representam, assim como a memória dos colonizadores do município de Ijuí.

Dentre as lendas apresentadas estão “Os músicos de Bremen”, formada por quatro animais, contada pelos Alemães, para dar início às alegorias do desfile. Logo em seguida vieram os “Trolls e Tomtar” criaturas sobrenaturais apresentadas pelos suecos, e a poética Flor Edelweiss típica dos Alpes Austríacos que remetem a figura da Dama Branca e do Príncipe Dourado.

Outra lenda bastante conhecida também pela cultura gaúcha, Negrinho do Pastoreio, foi contada pela etnia Afro. A história dos “Alvens: Guardiões das Tulipas” foi mostrada pelo Centro Cultural Holandês, já a Associação Tradicionalista Querência Gaúcha trouxe aos presentes a história de Salamanca do Jarau, remetendo aos padres jesuítas que habitaram a região.

“Surgimento de Riga” um gigante da Letônia, deu origem a capital Leta e foi mostrada ao público pela etnia.  O Galo de Barcelos foi tema da etnia Portuguesa, o bravo e corajoso Trompetista de Cracóvia foi contada pela etnia Polonesa e Ratoncito Pèrez, o primeiro personagem de ficção a ser reconhecido, foi mostrada pelos Espanhóis.

Os árabes contaram ao público a história do Livro Egípcio dos Mortos ou o Livro de sair para a Luz, nome dado as coletâneas antigas do Antigo Egito e La Befana, a Bruxa Boa da Itália que aparece no Natal, foi mostrada pelo Centro Cultural Italiano, encerrando a apresentação das etnias. O desfile contou com a participação de colaboradores, apoiadores, simpatizantes, dançarinos e familiares dos 12 centros culturais, que mostraram por meio das alegorias a beleza cultural de cada etnia.

A equipe de Parintins esteve presente em Ijuí desde junho construindo os carros alegóricos das 12 etnias. O evento encantou o público presente por mostrar a história e identidade cultural dos colonizadores de Ijuí que trouxeram para cá histórias de seus países de origem. O Desfile terminou com a ala da equipe de apoio que com seu trabalho deram vida aos Contos e Lendas das etnias.

O evento foi realizado pela União das Etnias de Ijuí juntamente com o Poder Executivo, , tendo planejamento cultural realizado pela Impacto Desenvolvedora Cultural e como patrocinadores a Loja Campeã, Demei e Soberana Alimentos. O 11º Desfile Étnico teve o financiamento da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Estado e o do Programa Pró-Cultura RS.